Porque Beijing e (não) Pequim?

Padrão

Quem não se bateu com essa dúvida? Embora sabemos que Beijing se trata uma pronúncia regional e que Pequim é mais comumente usando pelo mundo afora, especialmente aqui no Brasil. Mas afinal … porque? Se você não gosta de História das Civilizações (eu gosto, acho gostoso 🙂 ) mas quer saber o porquê, leiamos o texto abaixo, talvez possa nos esclarecer  🙂

——–

A História:

Sabe-se da existência de cidades na zona de Pequim no ano 1000 a.C., e a capital do Estado de Yan, um dos poderes do Período dos Estados da Guerra foi erigida em Ji, perto da atual Pequim, embora a sua localização exata seja desconhecida. Foi abandonada no século VI..

Durante as dinastias Tang e Song, somente existiam pequenas aldeias na zona. A última dinastia Jin cedeu grande parte da sua área fronteiriça norte, incluindo Pequim, à dinastia Liao no século X. A dinastia Liao fundou uma segunda capital numa cidade a que chamou Nanjing (“capital do Sul”). A dinastia Jin conquistou a Liao e o norte da China, fundando Zhongdu (中都), a “capital central”.

Os mongóis, com Genghis Khan, arrasaram Zhongdu em 1215 e reconstruiram-na como Grande Capital (大都), a norte da capital Jin, sendo este o início da Pequim contemporânea. O explorador Marco Polo chama à zona Cambaluc. Parece ser Kublai Khan, que desejava ser imperador da China, que estabeleceu a sua capital na zona norte por estar mais próxima à sua origem mongol, o que realçou a importância da cidade apesar de estar já no limite norte da China.

Em 1403, o terceiro imperador Ming, Zhu Di (朱棣), que tinha subido ao trono depois de matar o seu sobrinho e de uma longa guerra civil, moveu a capital, que estava no sul, estabelecendo-a no norte e chamando-a “Beijing”, ou seja, capital do Norte. A Cidade Proibida foi construída entre 1406 e 1420, seguida do Templo do Céu (1420), e outros projectos. A Praça da Paz Celestial (Tian’anmen) foi queimada duas vezes durante a dinastia Ming e finalmente reconstruida em 1651.

Após a instauração da República da China em 1911, estabeleceu-se de novo a capital em Nanquim (Nanjing) e “Beijing” foi renomeada “Beiping”. Durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa, foi ocupada pelo Japão em 29 de Julho de 1937. Durante a ocupação, Pequim foi a capital do comitê executivo do norte da China, um estado marioneta que governou o norte da China ocupada. A ocupação durou até à rendição do Japão, em 15 de Agosto de 1945.

A Praça da Paz Celestial.

Em 31 de Janeiro de 1949, durante a Guerra Civil Chinesa, as forças comunistas entraram em Pequim sem confrontos violentos. No dia 1 de Outubro, o Partido Comunista Chinês chefiado por Mao Tse Tung, anunciou na praça da Paz Celestial a criação da República Popular da China.

Depois das reformas econômicas de Deng Xiaoping, a área urbana cresceu enormemente. A zona de Guomao transformou-se em grande área comercial, tal como Wangfujing e Xidan, enquanto que Zhongguancun se converteu no centro da indústria da eletrônica chinesa.

Como capital da nação, Pequim também sofreu agitação política nos últimos anos. Na Praça da Paz Celestial tiveram lugar os Protestos da Praça da Paz Celestial em Maio e Junho de 1989, que terminaram em brutal repressão por parte do exército, sob ordem direta dos dirigentes comunistas: morreram milhares de estudantes, o que ainda é objeto de polêmica e contestação internacional às liberdades políticas na mais populosa nação da Terra. A praça também foi lugar de apelos de praticantes de Falun Gong (uma prática de Qigong) para o fim da perseguição a eles.

Nos anos recentes, Pequim esteve sempre com problemas sérios, tais como a congestão de tráfego (apesar da maioria dos pequineses usarem a bicicleta como meio de transporte), a contaminação do ar, a destruição do patrimônio histórico e a chegada maciça de imigrantes de outras partes do país.

Pequim, que perdeu a eleição para cidade olímpica de 2000, foi eleita para acolher os Jogos Olímpicos de 2008

O PINYN

O pinyin (pīnyīn) é o método (sistema de romanização) usado oficialmente na República Popular da China para transcrever, no alfabeto latino, o dialeto Mandarim padrão da língua chinesa.

Pinyin significa, literalmente, “soletração de sons”, onde, precisamente, pin quer dizer soletração e yin: som. Uma tradução menos literal pode ser “foneticismo”, “soletração” ou “transcrição”.

A mais comum e mais usada variante do pinyin é o chamado Hanyu Pinyin, onde Hànyǔ significa mandarim, no dialeto mandarim. O Hanyu Pinyin é também conhecido como esquema do alfabeto fonético chinês.

O Hanyu Pinyin foi aprovado em 1958 e adotado em 1979 pelo governo da República Popular da China. Ele superou sistemas anteriores de romanização, tais como o Wade-Giles (1859), que foi modificado em 1892, e o Pinyin de Sistema Postal, e também substituiu o Zhuyin como o método de instrução fonética chinesa na China Continental. O Hanyu Pinyin foi adotado em 1979 pela Organização Internacional de Padronização (International Organization for Standarzation) (ISO) como a romanização padrão do chinês moderno (ISO-7098:1991). Ele também foi aceito pelo governo de Singapura, pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, e pela Associação de Bibliotecas Americanas (American Library Association), como também por vários outros organismos internacionais. Igualmente se tornou uma ferramenta útil em digitações de textos da língua chinesa em computadores.

O pinyin é uma romanização, e não uma anglicização, ou seja, ele utiliza letras latinas para representar sons no Mandarim padrão. A maneira de efetuar tal representação no pinyin difere, em alguns casos, do estilo de simbolização escrita de sons em outras línguas que usam o alfabeto latino. Por exemplo, os sons indicados nesse dialeto pela letra b e g correspondem mais precisamente aos sons representados, respectivamente, pela letra p e k no emprego ocidental do alfabeto latino. Outras letras, como j, q, x ou zh indicam sons que não correspondem exatamente a nenhum som em inglês. Algumas das transcrições no pinyin, tais como a terminação “ang”, também não correspondem a pronúncias da língua inglesa.

Ao permitir que caracteres latinos se refiram a sons chineses específicos, o pinyin realiza uma romanização precisa e compacta, o que é conveniente para falantes nativos chineses e acadêmicos. Contudo, isto também significa que uma pessoa que nunca estudou chinês, ou o sistema do pinyin, está sujeita a cometer graves erros de pronúncia. Porém, este é um problema menos sério com sistemas de romanização se comparado com os anteriores, tais como o Wade-Giles.

Pronúncia

O propósito primário do pinyin em escolas chinesas é ensinar a pronúncia do Mandarim padrão. Muitas pessoas ocidentais tem visão equivocada ao pensar que o pinyin é usado para ajudar crianças a associar caracteres com palavras faladas que elas já conhecem. Isto não se fundamenta, já que muitos chineses não usam o Mandarim padrão em casa e, por isso, não conhecem a pronúncia de palavras do Mandarim padrão antes de chegar aprendê-las na escola primária através do uso do pinyin.

O pinyin utiliza o alfabeto latino, e portanto sua pronúncia é relativamente clara para os ocidentais. As vogais do pinyin são pronunciadas de forma similar às vogais das línguas românicas, e a maioria das consoantes são semelhantes às da língua inglesa, ou mesmo da língua portuguesa. Uma armadilha para novatos anglófonos, contudo, são as pronúncias pouco comuns do x, q, c, zh, e z (e às vezes i) e a pronúncia surda (sem vibração das cordas vocais) das letras d, b, g e j. Mais informações sobre a pronúncia de todas as letras do pinyin em termos de aproximações ao inglês são fornecidas mais abaixo.

A pronúncia do chinês dá-se geralmente em termos de iniciais e finais, que representam a parte segmental e fonêmica da língua. Iniciais são consoantes iniciais, enquanto que finais são todas as combinações possíveis de mediais (semivogais que antecedem as vogais), o núcleo da vogal, e a coda (vogal ou consoante final).

Fonte: Wikipédia ORG
Não entendeu? Veja mais informações em:
http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos/voz250420013.htm
e com o Prof. Claudio Moreno http://www.sualingua.com.br/06/06_pequim.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s